VULTO REI

Coroado pelo vai e vem das ondas
Exerço uma nobreza selvagem,
Mordendo espaços, cuspindo sondas,
Honrando o mistério de cada paisagem.

Mas as areias reinvidicam o tempo
E todos os reinos se despedem,
Todos os meus passos desaparecem:
Desencarno-me súdito do movimento.

Sou um vulto de carne, osso e mar,
Um fantasma assombrado pela vida.
E se as ondas vem e vão sem parar,
Um dia a impermanência será absolvida.

Um dia eu apenas irei.

 

Anúncios

~ por jeronimooo em outubro 1, 2012.

Uma resposta to “VULTO REI”

  1. Um dia todos nós iremos.
    Muito lindo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: