O QUE SOBROU DO CÉU

•maio 22, 2017 • Deixe um comentário

O Que Sobrou do Céu

Por menor que seja,
Qualquer espaço é infinito.

 

PEIXE GRANDE

•maio 15, 2017 • Deixe um comentário

Peixe Grande

Venha, chegue mais perto meu Pequeno Arquiteto,
estou aqui no lado revirado da cidade;
Venha e me diga com toda a tua sinceridade calculada:
A tua régua pode medir a distância entre duas almas?
A tua lógica pode calcular o tamanho de um absurdo?
A tua observação te permite separar o vôo do pássaro?
A queda da entrega ou a dor que precedeu a beleza?
Foi o teu julgamento que te condenou a duvidar de mim?
“Histórias de pescador”, você pensa com desdém;
“Quem poderia se atrever a dizer que pode alcançar o sol?”
Qualquer pescador poderia dizer;
Qualquer poeta deveria fazer;
E eu posso…
Observe e aprenda.

ALADO

•maio 10, 2017 • Deixe um comentário

*Imagem feita em parceria com Daniela Karg

Ausência de asas:
Excesso de poesia.

NADA É VERDADEIRO, TUDO É ABISMO

•maio 5, 2017 • Deixe um comentário

Despertar
sempre começa
onde o sonho nunca termina.

ALCOVA

•maio 2, 2017 • Deixe um comentário

Alcova 1

Cabe na volta
Na saia que roda
Na palma que estala

Cabe no canto
No meio do pranto
Na queda que escala

Cabe a estrela
Se a estrela
Ela alcança

Cabe o mundo
Se no mundo
Ela dança.

 

ARQUITETURA ONÍRICA

•abril 30, 2017 • 2 Comentários

Edifico delírios,
Lampejos de templos,
Santuários consagrados
Para os olhos que podem ver.

ÉDEN

•abril 27, 2017 • Deixe um comentário

*Imagem feita em parceria com Daniela Karg

Fiquemos um pouco mais assim
Como se pertencêssemos a este jardim
E as eras pudessem passar como fantasmas
Ocupadas demais em serem importantes
Ou grandes demais para nos verem
Venha, vamos brincar
Eternizar insignificâncias
Isso nós podemos
Isso nós fazemos
Apenas porque é belo
Apenas porque é
Nunca pelo que foi
Jamais pelo que será
Apenas porque é
E nada mais.