COLOSSUS

*Imagem feita em parceria com Daniela Karg

Colossus

As distâncias se espalham
Num delicado coice de cores
Que nem a vastidão do mar
Seria capaz de domar

E das pontas rochosas de um adeus
Eu vejo você se aproximar

Equilibrando nuvens
Sobre o dorso azul de um sonho
Para que possas fincar
A bandeira da tua altura

E dos salões submersos do esquecimento
Eu vejo você se agigantar.

~ por jeronimooo em novembro 18, 2015.

2 Respostas to “COLOSSUS”

  1. PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DE FLORES ….
    Em tempos de memórias que já se foram, e por trilhas onde só passam o sonho no sonho, as prisões carregavam incumbências terapêuticas, e acreditava-se que o castigo do homem era estar povoado de si mesmo, e que se a superdose dessa vivência, que lhe faria enfermo, sobrevivesse na febre de suportá-la, então nada poderia mais ser concedido ou despojado desse sujeito… By Kandq, in Flor de Areia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: