INFINITO INFINITO INFINITO (Com asas… e sem aspas)

 

Infinito Infinito Infinito (Com asas... e sem aspas)

Mantenha-me do lado do fogo
Do lado do fogo onde ainda faz frio

Mantenha-me do lado do rio
Do lado do rio que se mistura com o mar

Mantenha-me do lado de lá
Do lado onde o nada torna-se tudo

Mantenha-me do lado do mundo
Do lado de todos os lados

Mantenha-me vasto
Afastado daqueles carros estacionados
E de todo e qualquer monumento
Que celebre o cansaço

Mantenha-me no lado que niguém repara
No lado onde sou apenas um fantasma
Uma fagulha no lado escuro
A fumaça do cigarro de um estranho que passa

Mantenha-me do lado que salta
Do lado que despenca e depois decola

Mantenha-me do lado de fora
Do lado do grito que vem de dentro

Mantenha-me do lado inteiro
Do lado inteiro de tudo que foi quebrado

Mantenha-me sempre ao lado
De cada passo de cada sonhador acordado

Mantenha-me vasto
E afastado de qualquer abrigo

Mantenha-me infinito.

 

~ por jeronimooo em junho 3, 2014.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: