CAVALEIRO

Cortejos de vitrais estilhaçados
Reflexos de um luar intransponível
Olhos que tentam selar as sombras
Olhos que cavalgam a escuridão

Não me reconheça pela cor da armadura
Saiba apenas que o meu cavalo
É a visão da própria lua
Iluminando a solidão.

~ por jeronimooo em agosto 10, 2011.

4 Respostas to “CAVALEIRO”

  1. A boa poesia matutina me alegra!
    http://www.poemese.com

  2. mas é bonito demais, isso aí…

  3. lindo, J.

  4. Multidão de tramas de vidro
    mosaicos de areia
    mundo mui dividido
    fragmentario e fragmentante
    sombras nas frestas da casa
    mas logo vira a faixa prateada
    sendo parte deste mundo
    tambem sou o sombrio profundo
    minha chama de longe vem
    mas ilumina-te tão bem
    se cavalgas a luz
    eu sou a sabedoria
    se teu poema faz jus
    é meu olho que te amplia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: