ALÉM DAS PAREDES BRANCAS

*Para minha Vó Ruth*

Conte-me como era aquele lugar
Onde você corria com os pés descalços
E em seu olhar o mundo não terminava

Mostre-me um pouco daquele céu
Que melodia te debruçava na janela
E fazia brotar asas em seu peito?

Você sabe que não quero te deixar aqui

Então levante-se e vamos embora
Não importa o quanto já ficou tarde
Um momento basta para tudo ser infinito

Quero que você veja através dessas paredes
Aquele lugar onde nunca se pára de correr
Com os olhos no céu e o coração batendo asas

Pois você sabe que sempre estarei voando ao seu lado.

Anúncios

~ por jeronimooo em dezembro 23, 2010.

3 Respostas to “ALÉM DAS PAREDES BRANCAS”

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Nanda Corrêa. Nanda Corrêa said: Lindo demais! ❤ ;] RT: @jeronimo_sanz (SonhoNoSonho) "Além das paredes brancas" – http://twixar.com/lnGqCyfB […]

  2. Ando num período tão complicado que nem música nem saber o que por aqui eu sei.
    Só sei que é lindo e que eu amo sonhar aqui, junto com vc querido!
    Um abraço!

  3. Pra você guardei o amor
    Que nunca soube dar
    O amor que tive e vi sem me deixar
    Sentir sem conseguir provar
    Sem entregar
    E repartir

    Pra você guardei o amor
    Que sempre quis mostrar
    O amor que vive em mim vem visitar
    Sorrir, vem colorir solar
    Vem esquentar
    E permitir

    Quem acolher o que ele tem e traz
    Quem entender o que ele diz
    No giz do gesto o jeito pronto
    Do piscar dos cílios
    Que o convite do silêncio
    Exibe em cada olhar

    Guardei
    Sem ter porque
    Nem por razão
    Ou coisa outra qualquer
    Além de não saber como fazer
    Pra ter um jeito meu de me mostrar

    Achei
    Vendo em você
    E explicação
    Nenhuma isso requer
    Se o coração bater forte e arder
    No fogo o gelo vai queimar

    Pra você guardei o amor
    Que aprendi vem dos meus pais
    O amor que tive e recebi
    E hoje posso dar livre e feliz
    Céu cheiro e ar na cor que o arco-íris
    Risca ao levitar

    Vou nascer de novo
    Lápis, edifício, tevere, ponte
    Desenhar no seu quadril
    Meus lábios beijam signos feito sinos
    Trilho a infância, terço o berço
    Do seu lar

    Guardei
    Sem ter porque
    Nem por razão
    Ou coisa outra qualquer
    Além de não saber como fazer
    Pra ter um jeito meu de me mostrar

    Achei
    Vendo em você
    E explicação
    Nenhuma isso requer
    Se o coração bater forte e arder
    No fogo o gelo vai queimar

    Pra você guardei o amor
    Que nunca soube dar
    O amor que tive e vi sem me deixar
    Sentir sem conseguir provar
    Sem entregar
    E repartir

    Quem acolher o que ele tem e traz
    Quem entender o que ele diz
    No giz do gesto o jeito pronto
    Do piscar dos cílios
    Que o convite do silêncio
    Exibe em cada olhar

    Guardei
    Sem ter porque
    Nem por razão
    Ou coisa outra qualquer
    Além de não saber como fazer
    Pra ter um jeito meu de me mostrar

    Achei
    Vendo em você
    E explicação
    Nenhuma isso requer
    Se o coração bater forte e arder
    No fogo o gelo vai queimar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: