O FIM DA ETERNIDADE (Ilhas – parte 1)

 

“A eternidade é um navio atracado que está sempre pronto para partir”

Uma ampulheta quebrou-se em minhas mãos:

Praias infinitas escorrem por entre os dedos
Mares desertos que avançam na hora de ir

Eu sou aquela criança adormecida na proa
Eu sou aquele velho marujo rasgando mapas

Ilhas de fragmentos perdidos
Sonhos que nunca esquecerei

E isso foi tudo que restou da eternidade.

 

Anúncios

~ por jeronimooo em outubro 25, 2010.

4 Respostas to “O FIM DA ETERNIDADE (Ilhas – parte 1)”

  1. E se a eternidade durasse mais um pouco?

  2. Eternidade que dura mais um pouco não é eternidade

  3. […] This post was mentioned on Twitter by Nara Figueiredo, Jeronimo Sanz. Jeronimo Sanz said: (SonhoNoSonho) "Invento o cais e sei a vez de me lançar" – http://tinylink.in/83I […]

  4. O velho marujo quer (re)descobrir mares que não estão nos mapas. Vi isso e lembrei de ti: “O Mar nos chama de volta para casa”.

    Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: