O ARQUEIRO E O ALVO

 

Disparar à queima roupa
Em total estado de graça
Uma flecha na escuridão
Apenas para ferir o vazio
E fazer sangrar a madrugada
Para deixar que você veja
A indesistência dessa chama
Em nossos rostos iluminados
Em nossos olhos recém nascidos
Que buscam um vislumbre tátil
Da confirmação de nossas vidas
Aqui mesmo, no meio do nada
Assim mesmo, frente a frente
Na sublime fronteira de tudo.

Anúncios

~ por jeronimooo em julho 30, 2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: