SEMPRE MAIS

 

A que custo mantemos a beleza desse equilíbrio?
Castelos de cartas e abalos sísmicos
O curinga alcança a dama na corda bamba
Só espero que você esteja se divertindo

A que custo mantemos essa orquestra afinada?
Polifonia que sobrepõe diferentes amores
O violeiro não está sozinho na encruzilhada
Só espero que você esteja me ouvindo

Senão posso tocar ainda mais alto
Já fiz muito mais por muito menos

E não importa o preço que pagamos pela queda
Cartas embaralhadas e estamos no jogo
O curinga está na manga e a dama está pronta
E tudo que eu espero é te ver novamente sorrindo

E não importa o preço que pagamos pelo erro
Existe um tipo de amor que não teme
O violeiro encara e sublima a própria sombra
E tudo que eu espero é te ver dançando no caminho

Mas nós podemos ir ainda mais alto
E você sabe que nós já estamos indo.

Anúncios

~ por jeronimooo em maio 16, 2010.

Uma resposta to “SEMPRE MAIS”

  1. com as bençãos do naipe inteiro de copas, não tire os olhos de sua parceira e jogue. num jogo onde só há vencedores, sobre um feltro verde que muitos chamam de vida…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: