ASAS

 

A pena caiu de um farfalhar de asas e desceu bailando até repousar em meus lábios. Respirei fundo e soltei o ar com força, com convicção. Então a pena ascendeu e eu fui junto. Vi a cidade e os limites que contornam nossas rotinas. Somos como uma história que em algum momento se detém em uma única página. E o livro não avança, vamos aos poucos abrindo mão da jornada para ficarmos com a segurança de sabermos o começo, o meio e o fim de nossas repetições. Somos automáticos no amor e no ódio. Somos automáticos na alegria e na doença. Vejo satélites ao meu redor e eles são os anjos desse mundo de asas cortadas. Órbitas artificiais. A natureza da pena é imperfeita e agora ela volta a cair. O vento sopra mais forte e eu a perco de vista. Mas uma  palavra desce bailando e repousa em meus lábios: VIDA!

Anúncios

~ por jeronimooo em abril 13, 2010.

2 Respostas to “ASAS”

  1. e essa eh a chave!!!

  2. Muito lindo!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: