DE PASSAGEM

 

Caminho através desse salão
Algumas pessoas conversam
Outras fazem planos em silêncio
Crianças correm por entre as mesas
Alguém começa a gritar
A música não para
Casais rodopiam e se alternam
Políticos encenam uma comédia
Alguém saca uma arma e atira
O jantar está servido
Sacerdotes pregam de boca cheia
Empresários exibem suas coleiras
Dominadoras exibem seus cachorrinhos
Alguém está chorando
Generais escolhem o próximo inimigo
Estudantes examinam os feridos
Mas essa equação não pode ser resolvida
Alguém implora por ajuda
Artistas tentam chamar a atenção
Vendedores aproveitam e especulam
Algumas almas são negociadas
E todos parecem satisfeitos
Mas eis que é servida a sobremesa
Todas as bocas retornam a salivar
A essa altura eu chego até a janela
E vou embora do mesmo jeito que vim
Como um vento, um fantasma
Caminho através de uma noite esquecida
Acendo o meu cachimbo e olho para a lua
Ainda não foi dessa vez que encontrei
Quanto tempo será que ainda me resta?
Não importa…
Só me resta continuar.

Anúncios

~ por jeronimooo em março 31, 2010.

3 Respostas to “DE PASSAGEM”

  1. A Voz do Ver Sopra Sobre o Bom Uso da Flecha do Herói:

    Embora os dias febricitantes
    Atirem-vos para um lado e para outro,
    E noites sem estrelas envolvam-vos
    Em sua melancolia,
    E sejais atirados às encruzilhadas do mundo,
    Em que não há rastos ou sinais
    Para indicar o caminho;
    Não temais nenhum homem ou circunstância,
    Nem tenhais a menor sombra de dúvida
    De que os dias e as noites,
    Bem como os homens e as coisas,
    Mais cedo ou mais tarde vos procurarão
    Para pedir-vos, humildemente, que os comandeis
    Pois tereis conquistado a confiança da noite.
    E quem conquista a confiança da noite
    Pode, facilmente, comandar o dia vindouro

    By Mikhail Naimy

    Por K. em Sonho Dentro do Sonho.

  2. “Quanto falta para podermos respirar?”

    “Despeja o universo em meu cálice até a última gota, pois hoje sei que não iremos adormecer… hoje vamos ver o sol nascer.”

    “Não temeremos mal algum. Nem trevas, nem calúnias, nem ameaças.
    E o fazemos sem possuir investidura divina, sob nenhum mandato divino.
    Toda religião tem seus sacerdotes. Nós temos a nós mesmos como pontífices da Lembrança em nós.”

  3. Nesse mundo de loucos, a lua é nosso refúgio. Mas não nossa certeza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: