ADAGAS

 

adaga-de-luz

I.

Não domestique essa adaga
Ela nasceu para voar
Daqui até a sua presença
Não chame isso de traição
Estou apenas sendo sincero
Não morra em meus braços
A noite acabou de guardar o sol
E eu ainda quero nascer em ti
Até alcançar o que nós nem imaginamos
Daqui até o sabe-se lá onde
Mas por favor
Não chame isso de incerteza
É apenas a noite soterrando as referencias
Mas ainda consigo te ver
E minha adaga que voar
Daqui até onde voce acordar.

II.

Chega como uma brisa
Permanece como uma adaga
Estou abraçando minha mortalidade
E ela vive
Ela pulsa
Bomba-relógio em minhas veias
Estou atrasado
Acabei de perceber
Estou aniquilado
Acabei de nascer
Do ventre dessa ferida
Vivo!

Anúncios

~ por jeronimooo em fevereiro 15, 2009.

2 Respostas to “ADAGAS”

  1. Lindissimo ato de bravura!
    Amei e fui além como sempre rs
    Devaneios sem fim!

  2. Visceral…

    Vim, li e gostei

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: